Uma livraria precisa ser mais do que um lugar onde ficam os livros. Precisa fazer mais que vender livros. Precisa ser um espaço aberto para as palavras. Com o surgimento dessas novas ferramentas da internet, tudo fica mais fácil. Podemos abrir, ou melhor escancarar esse espaço para que alguém que leu alguma coisa, diga o que achou. E se pode falar sobre o que leu pode também mostrar o que escreveu, ou ainda  o que desenhou ou fotografou ou pintou ou….

Enfim queremos que esse seja um espaço para quem quiser participar dessa fantástica aventura com as palavras e pensamentos. Está aberta a PAREDE DA NOBEL PERDIZES !

Para começar vou publicar um texto que recebi de uma pessoa que não quer se identificar. Ela me deu sua autorização. Se o texto for comentado, quem sabe ela se anima, e aparece. Boa leitura e encham a perede de idéias.

   

 

Na parede do meu quarto…

 

 

 

 

 

 

            O que eu escreveria na parede do meu quarto? Não sei. Vivo pedindo para minha mãe me deixar pichar a parede, implorando para escrever coisas fofas… Mas se pudesse ficaria em dúvida.

            Primeiro que eu acho que pintaria meu quarto de vermelho. Tá, eu sei que não tem nada a ver, que meu quarto vermelho até ficaria estranho, mas eu pintaria, de base.

            Depois eu desenharia um grande coração que eu encheria de nomes. Pessoas, lugares, momentos… Que ficaram na minha memória e ficarão para sempre. Por isso eu teria uma lei: não vale apagar nenhum nome. Brigou, “cortou relações” ainda ia ficar na parede pois um dia esteve no meu coração.

            Do lado da minha cama, também escreveria um poema. Não um poema bobo qualquer, que eu achei na Internet, mas o único que eu fiz, até hoje, e tenho muito orgulho.

            O poema é o seguinte, e que o papai me perdoe. Talvez ele ache  cafona demais para pintar na parede do apartamento. Com certeza ele é meio feminino. Mas aí vai:

 

 

     À  todas as mulheres:

“Todas nós somos maçãs. E não existem duas iguais. Algumas são belas por fora e por dentro estão bichadas. E o contrário também ocorre, pois nem todas as feias são malvadas.

Quanto ao amor também está definido. Existem as mais embaixo, mais fáceis de pegar. E as mais em cima que até hoje, ninguém conseguiu tocar. Mas quando alguém resolve subir na macieira, com a mais alta no coração, mais puro é o amor e mais forte a paixão.

Por isso, tenha discernimento. Que você perceba se está em cima ou embaixo e se é verdadeiro teu sentimento.”

 

Bom, então acho que duas paredes já estão completadas. Nas outras, nem sei bem o que eu escreveria. Provavelmente recadinhos, coisas que viessem na minha cabeça com o passar do tempo. Fotos, imagens… Tudo que é importante para mim.

            E vocês o que escreveriam?

           

 

           

Anúncios